sexta-feira, setembro 24, 2010

Diário Gráfico: Espanha

Fomos também a Toledo e a dúvida sobre o que desenhar era muito grande...
Enquanto uns queriam ir à catedral, eu e a Ketta preferimos ficar a desenhar pelas ruas. Ao contrário do que parece no desenho, esta "Calle del Nuncio Viejo" é bastante movimentada e talvez até um pouco mais estreita...

Bom, mas enquanto a desenhava (sentado em cima de uma boca de incêndio), dava-me conta da quantidade de turistas coleccionadores de espaços, terras e fotografias, que por ali passavam. É que passavam literalmente. Ninguém se deu conta dos ferros forjados das varandas, de como cada piso tem uma arquitectura diferente, de como os passeios estão velhos...
E tenho as minhas dúvidas se, entre os milhares de fotografias digitais, se vão dar conta destes detalhes...

É o nosso turismo mundial...

Abençoado desenho que me obrigou a ficar ali a olhar para uma rua qualquer em vez de correr todas as ruas e ruelas de Toledo, como que a coleccionar cromos de uma caderneta...

domingo, setembro 19, 2010

sexta-feira, setembro 17, 2010

Diário Gráfico: Espanha

Tenho um grande problema com as livrarias (acredito que outras pessoas sofram do mesmo mal): não consigo sair de lá sem comprar nenhum livro...

Na do museu do Prado acabei por comprar dois livros. Um sobre desenho de alguns autores espanhóis e outro sobre As meninas de Velásquez em versão didáctico-pedagógica para crianças.

Também já deixei de acreditar que os compro para os ler mais tarde. Sei que os compro para os consultar mais tarde...
Não há tempo para mais! Tanto para ler e uma só vida...

Como disse o Almada:
Entrei numa livraria. Pus-me a contar os livros que há para ler e os anos que terei de vida. Não chegam, não duro nem para metade da livraria. Deve haver, certamente, outras maneiras de se salvar uma pessoa, senão estarei perdido.

quarta-feira, setembro 15, 2010

Diário Gráfico: Espanha

Se é verdade que com a Plaza Mayor fiquei maravilhado, esta Plaza del Sol também me obrigou a parar o olhar e registar os prédios e os espaços...
Seja feita justiça à dita praça dizendo que o meu desenho não consegue mostrar nada da sua beleza.
Diz lá numa placa que está no chão, que é dali que saem todas as estradas de Madrid. É o quilómetro zero. Engraçado com as coisas são. Mesmo ao lado estava um cartaz com publicidade ao conhecido sistema de navegação automóvel. A frase era algo deste género: "GPS, porque nem todos os caminhos vão dar a Roma!"

Interessante, não é?

sábado, setembro 11, 2010

Fotografia: Espanha

Estádio Santiago Bernabeu.

Inserido na malha urbana de Madrid, mesmo junto ao Paseo de la Castellana, este estádio tem um grande impacto em quem ali passa.
Galácticos brancos mas com bancadas azuis, cheias a cada fim-de-semana...
Quando vou a um estádio lembro-me sempre do Coliseu de Roma e do que lá se passava há dois mil e tal anos. Como é possível algo entusiasmar tanta gente ao ponto de, juntas, esquecerem-se de si próprias e agirem de forma alterada?

A publicidade e o marketing têm muito que aprender com o futebol...

Para os profetas da desgraça: é impossível mover multidões? Claro que não! Se duas dezenas de rapazes e uma bola o conseguem fazer, nós é que andamos todos a dormir...

sexta-feira, setembro 10, 2010

Diário Gráfico: Espanha

O ano lectivo está mesmo aí...
Preparar tudo e tentar que os detalhes façam a diferença é o desafio...
Isto custa... há que pensar a curto e a longo prazo!
Que alunos vou receber? Como vêm? Cresceram? Que expectativas têm?
Que professor sou eu neste momento? Sou eu mesmo ou há uma imagem que se tenta passar?

...

No Parque do Retiro de Madrid há um palácio de Cristal. Todo ele é vidro e aço. Transparente. Nada teme, nem os 40 e tal graus de Verão, nem o gelo do Inverno....
Ele está ali, transparente, a mostrar-se como é, com todas as suas debilidades e fortalezas.
A sua honesta grandeza tornou-me pequeno no acto de o desenhar. Nem me coube nas páginas...

...

É assim ser professor. É ser de aço e de vidro. Forte e frágil. Transparente, verdadeiro, honesto. Grande e pequeno...


terça-feira, setembro 07, 2010

Diário Gráfico: Espanha

Com um abono turístico dava para andar em todos os transportes públicos de Madrid. Como é normal, nos transportes públicos vê-se de tudo, desde senhoras todas aperaltadas até aos mais desleixados seres...

Bom, mas o porreiro deste passe de 5 dias é que nos permitia andar de autocarro e ver Madrid a partir de um paralelepípedo com vidros e ar condicionado! No metro andava-se imenso só para trocar de linha e tudo tinha um ar bastante sujo...

segunda-feira, setembro 06, 2010

Diário Gráfico: Espanha

Centro de Arte Reina Sofia.
Excelente organização e o edifício novo é fabuloso!
Estava lá uma exposição fotográfica magnífica sobre Manhattan. Quase ninguém a estava a ver porque toda a gente queria ir para a sala onde estava a... Guernica!

Deliciados pelo momento e sentados na pequena praça de entrada do museu, optei por desenhar algumas varandas madrilenas que estavam ali mesmo em frente aos grandes elevadores de vidro.
Aquelas lonas que eles colocam à janela fascinam-me... dão-me vontade de entrar dentro de uma das casas e saborear daquela sombra...

Os elevadores, o museu, as exposições e a Guernica ficam concentrados ali no bilhete, que tem uma reprodução do Picabia.

domingo, setembro 05, 2010

Diário Gráfico: Espanha

25 de Agosto.
Só apetecia estar dentro dos autocarros com ar condicionado. De tal forma que até passámos a paragem da praça de touros.
Sentei-me num banco. Várias pessoas se sentaram ao meu lado. Queria ter demorado menos tempo, mas fiquei cerca de 40 minutos a desenhar.

Quando desenhamos, o nosso cérebro aprende!
Se quisermos tirar uma boa fotografia, o nosso cérebro também aprende. Está tudo relacionado com o tempo que disponibilizamos. Um bom fotógrafo demoraria até mais de 40 minutos para tirar uma fotografia. Estaria à espera da luz, dos contrastes, das pessoas certas a passar...

É tudo uma questão de tempo...