quinta-feira, abril 21, 2011

Diário Gráfico: Portugal

Entrámos na Igreja dos Agostinhos com a missão de procurar o studium - enquadramento que nos cativasse, nos encantasse. Dali, deveríamos procurar o punctum - o que nos saltava à vista, que nos fere e prende o olhar, fazendo com que esse aspecto preserve na nossa memória todo aquele contexto.
O studium e o punctum são ideias do Roland Barthes que foram aproveitadas para o retiro de diários gráficos em Vila Viçosa, mas antes ainda tomámos por referência o discurso de S. Paulo em Atenas. Depois de tão belas, preparadas e eruditas palavras, não houve assim tanta gente que lhe desse atenção, pelo que decidiu por mãos à obra e dar valor aos actos em detrimento das palavras.
Foi isso que fizemos. Deixámos a teoria e fomos desenhar procurando coisas muito específicas.

O meu punctum deste desenho é o sacrário esférico lá ao fundo - elemento central desta igreja que, nem nesta perspectiva mais lateral, perde a sua importância.

Daqui podíamos partir para o studium e o punctum da nossa vida... mas isso terá de ficar para um nível II do retiro de diários gráficos!

1 comentário:

josé louro disse...

Retiro 2? Já lá estou!