segunda-feira, julho 18, 2016

Alto contraste


O Exame Nacional de Desenho A de 2016, na 1ª fase, tinha um exercício que pedia o uso da tinta da china em alto contraste. A maioria dos alunos misturou-lhe água (como tantas vezes se faz), para ganhar tons cinza intermédios e ajudar na volumetria, mas, como o enunciado pedia alto contraste, quem não utilizasse apenas o branco e preto seria classificado com zero pontos num dos três critérios de avaliação. Há que ler o enunciado com atenção.

Na semana passada vi o exame de uma aluna que ia pedir reapreciação. Era de outra escola. 
Neste exercício, ela também diluiu a tinta da china, pelo que foi penalizada, mas qual não foi o meu espanto ao constatar que nos outros dois critérios ela também tinha sido classificada com zero valores quando o desenho respeitava (até com bastante qualidade) tudo o que era pedido! Exame mal avaliado. Só neste exercício, facilmente subia 3 a 4 valores...

Não consigo entender o que se passa com alguns professores examinadores. Só vejo uma solução: se temos de avaliar desenhos com tinta da china, então temos de desenhar com tinta da china, passar pelas dificuldades, errar, acertar, insistir, penar. Só assim conseguiremos ser justos a classificar.

2 comentários:

teresa ruivo disse...

Belo desenho Mário, e boa questão esta a da forma como os exames são corrigidos. Infelizmente não é só em Desenho que há correções erradas. Se todos os profs. tivessem a perfeita consciência da importãncia vital desse seu papel na vida dos alunos julgo que tudo seria diferente!

Alexandra Baptista disse...

Pois... alto contraste de preto e branco não levanta dúvidas já a forma como avaliaram a questão... é sempre uma angustia a espera das notas de desenho...sou da opinião que estas provas deveriam ser corrigidas por, pelo menos, duas pessoas para evitar subjetividades ou erros. Por cá correu dentro do que se esperava, mas ainda assim julgo que os corretores não sabem bem o que é hesitação... além disso parece-me que nem todos desenharão o que é, à priori, um grande problema...