sábado, abril 16, 2016

La Tourette, by Corbusier


Tudo começa com a vontade de dar aos alunos de Artes Visuais das Doroteias a experiência artística mais completa possível.
Desde há muitos anos que saímos todos juntos para desenhar e cultivar o espírito artístico durante 4 dias numa qualquer cidade longe de Lisboa. Este ano foi em La Tourette, com "escala" em Lyon.


Aterrado o avião, esperava-nos um percurso de 35 minutos de autocarro por estrada boa.
A experiência da chegada ao convento é única. Vivem lá os irmãos dominicanos em regime de simplicidade. Fomos recebidos pelo Fr. Jean François que nos explicou as regras dentro do convento.
Feita a acomodação, reunimos numa sala para fazermos o exercício de apresentação preparado pela turma do 12.º ano. Fiquei com a Madalena...


A Ana Souza, arquitecta e estagiária nas Doroteias, guiou-nos pelo edifício chamando a atenção para várias particularidades. Eu desenhava o mais que podia, tirava apontamentos, queria "agarrar" aquele edifício o melhor que conseguisse.


Este primeiro dia não terminou sem uma ida à capela, local majestoso com uma escala gigante. 
Depois, antes de dormir, pegámos na leitura do cego que queria ver e desenhámos de acordo com a descrição de um colega. Olhávamos para o papel, mas era como se estivéssemos cegos, tal era a informação relatada que nos faltava.

Foi este o meu primeiro dia em La Tourette: cheio, intenso, talvez um pouco caótico até.

8 comentários:

Ana Crispim disse...

Gosto imenso dos teus relatos/diários de viagem...

Mário Linhares disse...

Obrigado Ana. Estou comprometido a dedicar um pouco mais de tempo ao meu blogue. Mais relatos virão!!

Filipe Pinto disse...

Há muito tempo que não víamos os teu desenhos. As tuas composições estão cada vez melhores:)

Celeste Vaz Ferreira disse...

Que bom voltar a ver estes desenhos cheios de histórias e, concordo com o Filipe, estas composições estão fantásticas!

teresa ruivo disse...

Que bom ver de novo desenhos teus. E que desenhos:) Cores, composições, perspectivas,ambientes...Tudo genial!

Fernanda Lamelas disse...

Que bonito tudo!

Vitor Mingacho disse...

Um edifício desconcertante, pela modernidade e modernidade, sobretudo quando constatamos que tem mais de 50 anos. Os desenhos estão extraordinários. Fica a pena de não o ter desenhado quando o visitei....

Alexandra Baptista disse...

muito bom, os desehos e a forma como está publicado...a expreiência parece ter sido ENORME. Obrigada pela partilha.