quinta-feira, dezembro 04, 2008

Fotografia: Guiné-Bissau | Photography: Guinea-Bissau


Segunda é o nome desta rapariga, que tece uma rede, tendo como suporte o dedo grande do pé. A Segunda é a melhor amiga da Helena. Tinha um ar sempre muito concentrado e adulto. Falei poucas vezes com ela, mas tinha um sorriso bonito e discreto.

A primeira vez que fomos conhecer a casa da Helena, fiquei logo fascinado com o que a Segunda estava a fazer. Fotografei-a várias vezes, de vários ângulos... talvez ela já estivesse cansada, mas nem por isso se queixou, ou me fez sinal de que não queria ser fotografada.

De toda a agitação que se passava ali (crianças a brincar, a jogar à macaca e à sirumba, as raparigas a pentearem-se, os homens sentados a falar, etc.), este foi, para mim, o momento mais bonito. Além da Segunda ser a pessoa mais tranquila, estava no enquadramento certo...


3 comentários:

Coisas minhas disse...

Adorei este blog!!!
Virei cá mais vezes!

Cumprimentos, Ana Sousa

Anónimo disse...

Bom dia.
Somos um grupo de Área de Projecto, composto por cinco raparigas. Estamos no 12º ano, na Escola Secundária Manuel Teixeira Gomes em Portimão.
Inscrevemo-nos no concurso proposto pelo grupo Del8, que tem como objectivo ajudar a Aldeia de Empada na Guiné-bissau. Ao tentarmos obter informação acerca das suas culturas e costumes, encontramos o seu blog.
Gostaríamos de saber se nos podia dar mais informações sobre a aldeia (alimentos, clima, costumes, gastronomia).
Agradecemos desde já,
Caso nos queira contactar fica aqui o nosso e-mail (grupoap12b@live.com.pt).

Com os melhores cumprimentos,
Grupo de Área de Projecto

Rita Cambim disse...

Mário, depois da provocaçao de outro dia, e das nossas desaenças habituais tenho te a dizer o seguinte:
-fascinou-me todo este mundo de "empada";
-é fantastico o que aprendi neste tempinho que dediquei ao teu blog, aquilo que mais estranhei foi o facto de se falar crioulo na Guiné, que eu como "boa" namorada de descendente de cabo-verdianos que sou, e ingenua tambem pra nao dizer ignorante nestas materias de dialectos, pensava que o crioulo fosse coisa cabo-verdiana... va egoista um pouco tambem:P;
-admiro-te pela tua coragem de "por o dedo na ferida" e sabendo dos problemas de africa "dares o corpo ao manifesto" e encarares tudo o que viste e sentiste com um sorriso (à bela maneira africana:D);
-e força... que o teu projecto dê frutos, e que todos tenhamos no futuro razao para que nos orgulhemos dos nossos actos...

... despeço-me desejando tambem um dia poder visitar Africa... e sentindo orgulho por ter um colega como tu...


um Abraço, Rita Cambim