segunda-feira, janeiro 19, 2009

Fotografia: Guiné-Bissau | Photography: Guinea-Bissau


Ir a Bafatá foi uma das poucas viagens que fizemos na Guiné-Bissau. Lá encontra-se um dos mercados mais famosos do sul da Guiné! Passamos por uma rua estreita cheia de comerciantes até chegar ao mercado onde tudo se vende...

É ali que uma das ideias pré-concebidas que temos sobre África se começa a desvanecer. Como a imagem mostra, a organização é a rainha do mercado! Digo rainhas porque são as mulheres que organizam toda a banca. Tudo tem o seu lugar, tudo está como devia estar para captar a nossa atenção. Tudo tem o toque feminino tão organizado, tão delicado...

Há muita gente que me tem perguntado o que se cultiva na Guiné... Não sei tudo o que se cultiva, mas através desta fotografia talvez se possa aprender um pouco mais.
Os sacos laranja, esses, não se cultivam. Têm dentro o sumo mais famoso da região. As crianças metem um dos cantos do saco na boca e vão chupando o sumo aos poucos, para que não acabe rapidamente. Refrescam assim do calor intenso...


Em Agosto de 2008 estava a acontecer um surto de Cólera na Guiné. Infelizmente os cuidados higiénicos não são muitos e estes sumos eram uma das formas com que as crianças a apanhavam. Não se sabe de onde vinha a água com que os sumos se faziam e as mãos também não se lavavam frequentemente...

Ora, se não vivemos sem água e usamos as mãos para levar a comida à boca, ficam dados todos os passos para que essa doença de propague rapidamente...

____________________________________________________________________


Visiting Bafatá was one of the few trips we made to Guinea-Bissau. You can find one of South Guinea's most famous markets there! You go down a narrow street full of merchants until you get to the market where everything is sold…

There is where one of our preconceived ideas about Africa starts to vanish. As shown in the picture, organization is "queen" of the market! I use the term "queen" because women are those who arrange the stand. Everything has its own place, everything is as it's supposed to be so it captures our attention. Everything has a feminine touch, so organized and delicate…

Many people have asked me about what is cultivated in Guinea… I can't say everything that's cultivated there, but maybe one can learn more with the aid of this picture.

The little orange bags aren't grown. Inside of them lies the most famous juice of the region. Children put one of the corners in their mouth and little by little they sip the juice, so they don't run out of it too fast. That's how they cool themselves off from the intense heat…

In August 2008, a surge of Cholera was spreading in Guinea. Unfortunately, hygiene cares aren't many and these juices were one of the ways children caught it. The source of the water in these juices was unknown and their hands weren't often washed…

If we can't live without water and we use our hands to bring food into our mouths, all the steps are taken for the disease to spread quickly…


6 comentários:

Amnistisiados disse...

Gosto especialmente das cores. E mesmo não conhecendo a grande maioria dos produtos da fotografia, as cores abrem-me o apetite (a minha mãe sempre me disse que tinha mais olhos que barriga)! É impressão minha ou estou mesmo a ver beringelas sobre a banca?

Efectivamente, esse preconceito da "desorganização africana" é quebrada com aquilo que a fotografia nos mostra.

É mesmo necessária um reforçado empenho na questão da higiene... Os básicos cuidados de higiene podem evitar muitas doenças.

Mas são coisas que se podem mudar... Eu, pelo menos, acredito.

Cumprimentos. :)

Mário Linhares disse...

Sim, são mesmo beringelas!

E aquilo ao fundo com ar de cone? Alguém sabe o que é?

Amnistisiados disse...

Não fazia ideia que em Guiné-Bissau se cultivava beringela.

Hum. Aquilo são pimentos, malaguetas, qualquer coisa por aí penso...:)

cristiana disse...

É espantoso a ordem que todos os produtos tomam, cada qual no seu devido lugar. Mas sem dúvida num primeiro olhar o que me "espantou" mais foi a quantidade de cada produto. Normalmente, quando vemos este tipo de produtos à venda são em grandes quantidades, até mesmo em pequenas feiras, o que contrasta com a quantidade explicita na imagem.
Um olhar diferente sem dúvida para uma simples banca de produtos que nada tem a ver com as que costumo ver (cheias, desorganizadas e talvez com muita menos cor).

Mário Linhares disse...

Confesso que é um prazer saber que pelo menos duas pessoas lêem regularmente o meu blog! Talvez as amnistisiadas sejam mais do que uma a escrever, mas falam a uma só voz! :)

Amnistisiados:
Confesso que também não sei o que aquilo é. Tenho de perguntar a algum amigo guineense (ainda estou na esperança que apareça aqui algum a fazer a revelação).

Cristiana:
De facto a simplicidade e a escassez são regra em África. Quando há pouco, só se pode vender pouco, porque não há dinheiro para comprar muito...

Amnistisiados disse...

Ora essa, o prazer é todo nosso! É pena que o número de visitantes habituais não seja maior... Mas vão, com certeza, surgir mais pessoas curiosas para frequentar este espaço.

A escrever é só mesmo uma voz, digamos que sou a responsável pelo blog. Mas quando falo por mim, falo por elas também (pelo menos na maioria das vezes). E posso garantir-lhe que visitam regularmente o "hakunamatatayeto".

Quanto ao "produto estranho", também espero que alguém apareça para nos esclarecer. :P

E concordo com aquilo que disseram em relação à quantidade... O contraste é tão grande comparando com a nossa sociedade consumista.

AH! Obrigada por assinar a petição e colocar o seu link aqui no blog...;)