terça-feira, janeiro 27, 2009

Fotografia: Guiné-Bissau | Photography: Guinea-Bissau


De toda a entrevista da Sumai, uma das coisas que me lembro melhor foi a resposta dela a uma das minhas perguntas:
- Qual o momento mais feliz da tua vida?
Depois de pensar, ela não conseguiu responder... não percebia a razão de ser da minha pergunta...
Insisti para que respondesse, mas nada...

Esse momento inquietou-me...
Para nós a felicidade é a razão de ser das nossas acções. Se não estamos felizes, tudo à nossa volta parece perder sentido...
Por momentos tive a arrogância de pensar que a felicidade não lhe interessava...

Este foi um dos momentos que me mostrou como sou pequenino... como sei tão pouco sobre os outros... como tenho tanto para aprender... que ousadia da minha parte... querer saber o que é a felicidade para um guineense, estando lá apenas um mês...

____________________________________________________________________

Of Sumai's entire interview, one of the things I remember the better is her answer to one of my questions:

'What was the happiest moment of your life?'

After thinking for a while, she couldn't answer… she didn't understand why I was asking her that question…

I insisted so she would answer, but she wouldn't…

That moment troubled me…

Happiness is the reason behind our actions. If we're not happy, everything around us loses meaning…

For a moment I was arrogant to the point of thinking that happiness didn't matter to her…

This was one of the moments that made me see how small I am… how little I know of others… the many things I have yet to learn… how daring of me… wanting to know what's happiness for a Guinean, having only been there for a month…

3 comentários:

Salvar Empada disse...

É, realmente, uma realidade que nos ultrapassa, a da sequer possibilidade de não se conhecer a felicidade.
Seria, então, uma vitória ajudar a espalhar o irreal (felicidade) pelo mundo, não?

Abraço

Mário Linhares disse...

Sim, mas antes disso a minha reflexão anda pelo que será essa felicidade comum a toda a gente...

Desde sempre existiram várias propostas de felicidade e acho que quando encontramos a fórmula certa, não podemos, de facto, ficar com ela só para nós. Seria demasiado mesquinho e egoísta...

Por vezes sinto que já a encontrei, mas subscrevo com veemência a vossa frase final!

*PuRpLe_HaZe* disse...

A felicidade possui um conceito vasto e indefinido. No entanto, cada um é feliz à sua maneira e a própria aceitação da vida que vivemos leva-nos a crer que os momentos de felicidade, apesar de não serem muitos, são importantes. Penso que, de certo modo, é egoísta da nossa parte pensarmos que pessoas como Sumai não são felizes. Mas são...Não totalmente, em momentos. Tal como nós. After all, that's all that matters, we're all the same. Congrats on your blog, it's uplifting to know there are people that actually care. That's what true humanitarianism is all about =)*