terça-feira, maio 31, 2016

Veneza vista da Giudecca

Dia 1 
(2ª parte)


Saindo pela Calle Michelangelo chegava-se à estação fluvial Zitelle e a vista era esta...
Sentei-me no final do passeio, com as pernas a cair para a água e não resisti mais. Com a Giudecca nas costas foquei-me nos campanários da Chiesa di Santa Maria del Rosario (Gesuati) e comecei por aí o desenho. Deixei a caneta passear fluentemente pela página e, das torres passei para a cúpula (adoro que se diga duomo em italiano), depois para os telhados do lado direito, pontos para as janelas, até chegar à torre da Piazza S. Marco. O palácio dos Doges ficava ali logo à direita e, olhando de novo para o desenho, sentia falta de algo à esquerda. Parecia-me demasiado vazio... 
Entretanto começa a vibrar o telefone. Era o Zé a chamar:
- Sim? (os italianos respondem pronto!? quando atendem o telemóvel - lindo!)
- Onde é que andas?
- Estou junto à água, a desenhar.
- Mas junto à água onde? Para que lado? Como é que se vai aí ter?
- Estou mesmo junto à estação Zitelle. Faz o caminho de volta. Não tem nada que enganar.
- Epá, não sei se consigo ir aí ter.
- Bolas Zé, é só fazer o caminho de volta!
- Ok, ok, vou tentar.

Ora aqui estava algo que desconhecia do Zé Louro: falta de orientação geográfica. Eu estava a uns 100 metros dele, separados por uma rua direita, mas ele achava que se ia perder!!
Chegou, finalmente, a olhar para todo o lado menos para onde eu estava, acenei-lhe e lá nos encontrámos!
No entretanto tive tempo de fazer um pouco mais de desenho à esquerda da cúpula.

Fomos depois um pouco mais para a direita, sentámo-nos no chão para desenhar e lembrei-me da ordem da Ketta: faz um em folhas soltas para pendurarmos cá em casa.
Tirei as folhas de 220 gr, o pau de madeira e a tinta da china e lancei-me à mesma vista.


Já está a ser emoldurado.
Sábado passado fui levantar duas serigrafias com moldura para ficarem à venda na Fnac (sim, a loja de Cascais está a vender as minhas serigrafias de Lisboa) e aproveitámos para levar estas duas folhas A3 de papel com 220 gr. Agora já é possível viajar até Veneza nas paredes da nossa casa...

3 comentários:

Ana Simoes disse...

Maravilha. Estou roída de inveja de não poder desenhar (ou tentar) esta Veneza.

teresa ruivo disse...

Parabéns Mário! Muito te espera pela frente...

Mário Linhares disse...

Vocês são umas queridas! :)