domingo, outubro 19, 2008

Fotografia: Guiné-Bissau | Photography: Guinea-Bissau




A escola primária de Empada recebeu um apoio fantástico nos anos 90 que permitiu dar trabalho a carpinteiros e ferreiros e construir carteiras novas para as crianças poderem estudar em melhores condições.

Quando em 98/99 a guerra civil despontou na Guiné, a capital ficou tão afectada que mobilizou uma onda de refugiados pelo interior do país. Empada não chegou a sofrer directamente dessa guerra, mas muitos refugiados das cidades vizinhas procuraram ali abrigo.

A Guiné-Bissau parou praticamente toda a atividade durante a guerra e a escola primária de Empada não foi excepção à regra. Aliás, nem teve muitas possibilidades de escolha, as salas de aula passaram a servir de abrigo aos refugiados...

Durante esse tempo, as pessoas utilizaram as madeiras das cadeiras e mesas para poderem cozinhar, porque sair para o mato à procura de lenha era perigoso...

... passados 10 anos dessa guerra civil, a escola primária de Empada continua com as consequências. As crianças sentam-se nos ferros e escrevem em cima do que restou das madeiras...

Quando uma guerra acaba, aos nossos olhos, tudo fica em paz, mas a realidade é bem diferente...
... o que havia antes nunca mais volta a ser o mesmo...


1 comentário:

ines mendes disse...

sao incriveis as poucas condiçoes que tem e as variadissimas diferenças nas sociedades!
grande projecto este que está a ser desenvolvido!

tenho muito orgulho em estar a participar e possivelmente poder ajudar estes necessitados!

grande causa esta!!